Como planejar um mochilão

29/08/2018 Destinos e roteiros29

Confira dicas que podem te livrar de vários perrengues

Planejar um mochilão não é diferente. Conforme vamos viajando, percebemos que existe um passo a passo que não muda e devemos seguí-lo para aproveitar ao máximo essa experiência. Se você quer fazer seu mochilão mas não sabe por onde começar, nós vamos te dar uma mãozinha sobre como planejar seu mochilão.

Definir o período de férias

Quando estamos presos ao trabalho, temos duas formas de escolher nosso período de férias para planejar um mochilão:

  • Por demanda de trabalho: escolher se ausentar em um mês que não fará muita falta na empresa facilita a negociação. Caso isso não seja possível, podemos escolher a data das férias de acordo com o melhor mês para visitar o destino desejado, por exemplo.
  • Por melhor época para visitar o destino desejado: sempre levando em conta o clima ou  pelas temporadas e datas festivas – esses geralmente são mais caros, mas ao mesmo tempo, tem festas tradicionais e eventos que valem o preço. Perto de temporadas, comece suas reservas com pelo menos 6 meses de antecedência.

Deslocamento

Você pode pesquisar a melhor combinação de ida e volta, em vários dias da semana, neste período e tempo de estadia. Geralmente as passagens são mais baratas em dias da semana. De preferência, terça e quarta à noite, por exemplo.

Se você está seguro sobre as datas de partida e de chegada,  compre as passagens com antecedência, especialmente se for temporada no destino escolhido. Também dá para deixar para comprar tudo por lá mesmo, caso ainda tenha dúvida de quantos dias quer ficar no lugar ou quiser deixar seu cronograma mais flexível.

Definir o roteiro

Para isso, você deve levar em conta duas coisas:

  • O que é imperdível de se ver/fazer em cada lugar que passar
  • Quanto tempo leva para conhecer cada lugar.

Essa avaliação vai te dar uma ideia de quais passeios você vai poder ou não fazer para aproveitar a viagem ao máximo.

Nessa pesquisa, aproveite para:

  • Levantar e anotar os custos dos passeios, tours e afins, por exemplo.
  • Anotar as agências e/ou guias de confiança para agendar passeios com antecedência caso seja possível (ideal se estiver viajando para um lugar que está em época de temporada ou é muito complicado de informação).

Muitos lugares têm dias gratuitos para visitação em museus, parques e outros. Pesquisar sobre esses dias e planejar sua viagem considerando-os já é uma boa economia.

Definir o deslocamento entre os destinos

Você pode optar por três formas:

  • Conforto: pagar mais caro  e viajar com tranquilidade um trajeto longo. Essa opção vale a pena para viagens noturnas de grande duração e que no outro dia a rotina será intensa.
  • Por custo: Ir da forma mais barata, independente do meio de transporte.
  • Por aventura: viajar da maneira que é mais popular naquela região, assim é possível conversar com os nativos, observá-los e aprender mais sobre o destino que está percorrendo. Por exemplo, uma longa viagem de barcos nos rios da Amazônia ou de expresso na Rússia.

Hospedagem

No Brasil, ainda é fraca a cultura de Hostel, mas em outros países é o melhor lugar para se ficar em relação à custo-benefício. Principalmente para quem mochila e viaja sozinho. E, sem dúvidas, você faz sempre bons amigos e contatos nessas hospedagens. Algo típico de hostel são quartos compartilhados, mas tem também individuais, caso queira privacidade ou esteja em casal.

Além disso, as avaliações de sites também são boas aliadas nessas horas. Com elas é possível ver fotos e também saber as pontuações e reclamações de cada lugar, por exemplo. Outra boa dica é olhar a localização, se está próxima de metrôs e ônibus, dos pontos turísticos principais (onde pode se conhecer a pé). Isso faz com que você ganhe tempo e economize com deslocamentos.

Orçamento

Depois de saber quanto você vai gastar em passagens, hospedagens e passeios, é hora de ver os outros gastos. Alimentação, lembrancinhas, coloque na ponta do lápis tudo o que você vai gastar e vá separando o dinheiro para isso. Para viagens internacionais, é bom desbloquear o cartão de crédito para o país de destino uma semana antes. No caso da moeda estrangeira, o melhor é ir comprando ao longo do ano, todo mês – no dia em que estiver mais barato, por exemplo.

Cultura

Tente entender melhor sobre a cultura do lugar. Como os costumes, o que é ou não permitido, o comportamento aceitável, locais para comer, enfim. Além disso, saber quais são os objetos típicos e coisas bacanas para trazer de lembrança também é legal. É importante também estar atento ao cenário político e protocolos de segurança – no caso de viagens ao exterior. Estar ciente sobre vacinas, vistos e moedas também é essencial em viagens para países estrangeiros.

Tudo pronto? Agora aproveite a viagem!

freshlab