Novo corredor turístico sul-americano

20/11/2018 Destinos e roteiros57

Um novo corredor turístico está em andamento. Agora, o Brasil vai fazer parte de um roteiro ligando remanescentes históricos, culturais e naturais das Missões Jesuíticas. Além de nós, os países envolvidos são: Uruguai, Paraguai, Bolívia e Argentina. Eles vão integrar o novo corredor turístico sul-americano.

O Ministério do Turismo recebeu, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o aval para a aprovação do projeto brasileiro. Ele compõe o acordo internacional para a integração da Rota Jesuítica das Missões. Para isso, a implementação começa já nesse mês, com lançamento dos editais de licitação para execução do plano de marketing integrado, promoção e apoio à comercialização da rota multidestinos.

Primeiramente, a rota ligará 19 ícones da história da colonização jesuítica na região. E, claro, todos eles reconhecidos pela Unesco como patrimônios mundiais da Humanidade. Além deles, a rota abrange mais sete áreas naturais protegidas.

A rota no Brasil

As Ruínas de São Miguel das Missões (RS), garantiram ao conjunto remanescente dos Sete Povos das Missões Jesuíticas o título de patrimônio cultural da humanidade, concedido pela Unesco. O lugar fez parte da história da Companhia de Jesus, por exemplo, que visava doutrinar e catequizar a população indígena da região.

Também faz parte do roteiro turístico a Aldeia Guarani, o Museu das Missões e a Cruz Missioneira. Além destes, também estão Fazenda da Laje, Fonte Missioneira, Ponto de Memória Missioneira e Pórtico com escrita em guarani. Na placa está escrito “CO YVY OGURECO YARA”, que significa “esta terra tem dono”. A Catedral Angelopolitana, de Santo Ângelo, também compõe o circuito. Além dela, os Sítios Arqueológicos de São João Batista, São Lourenço e São Nicolau também são atrativos.

Uma curiosidade é que as missões eram compostas basicamente de igreja, colégio, oficinas, cemitério, cotiguaçu e hospedaria. Sendo que cotiguaçu, para quem não sabe, é a casa grande das viúvas, que, entre outras responsabilidades, cuidavam dos órfãos. Em volta da Missão, as casas dos nativos formavam a redução indígena. O modelo de sociedade das reduções jesuítico-guaranis de 1627 é considerado por alguns historiadores “a primeira cooperativa do mundo”.

Investimento

O BID destinou U$$ 500 mil para o planejamento das ações de apoio à rota integrada. Além disso, considera o Corredor das Missões Jesuíticas como um dos mais amplos do mundo. Por exemplo, a sua importância histórica e cultural pode ser comparada à da Rota da Seda, da Ferrovia Transiberiana e da Rota 66.

Até outubro de 2020, deve ser desenvolvido um portal web do Corredor das Missões Jesuíticas. Além disso, também será criado um observatório de estatísticas de turismo do roteiro internacional. Aliás, também, um concurso será feito para escolher os projetos privados mais inovadores. Porém, este concurso será voltado especialmente para microempreendedores individuais, pequenas empresas e startups do turismo.

Em agosto do ano passado, durante a primeira reunião do Conselho Executivo da Rota Jesuítica Internacional da América do Sul, a assinatura da carta de adesão do Brasil PGC-BID marcou o início da integração regional dos países envolvidos.

O valor total da iniciativa é de U$$ 100 milhões. E será distribuído em ações de infraestrutura turística para as as 5 nações parceiras.

Da parte do Brasil, uma das obras previstas é a construção da Ponte Internacional Porto Xavier (Brasil) – San Javier (Argentina), por exemplo.

freshlab